• Cale a boca, jornalista!: O ódio e a fúria dos mandões contra a imprensa brasileira

    Fernando Jorge

    Editora Novo Século

    OBRA CLÁSSICA, FUNDAMENTAL PARA TODOS QUE DESEJAM CONHECER PROFUNDAMENTE A HISTÓRIA DO BRASIL E A DE SUA IMPRENSA. Este livro do escritor Fernando Jorge é o primeiro que aparece sobre as violências e as arbitrariedades sofridas pelos jornalistas brasileiros, desde a época do Império até os dias atuais, com ênfase para o período do regime implantado em 1964. O autor destrói vários mitos e apresenta episódios importantes, omitidos pelos compêndios de História do Brasil. Prova documentadamente que José Bonifácio, "o patriarca da Independência", agia como um chefe de cangaceiros; que o marechal Deodoro da Fonseca, o proclamador da República, apoiou o empastelamento do jornal A Tribuna; que Washington Luís governou São Paulo como um feitor de escravos; e que o presidente Epitácio Pessoa achava que "coagir o pensamento nacional" era uma tarefa meritória. Outros fatos do livro Cale a boca, jornalista!, dignos de serem mencionados: as "torturas apocalípticas" durante o governo Médici; os suplícios bárbaros infligidos aos jornalistas Rodolfo Konder, Maurício Azedo, Vladimir Herzog, Miriam de Almeida Leitão Netto, Renato Oliveira da Mota, José Augusto Pires, Antônio Carlos Fon e Frederico Pessoa da Silva.
    Ler mais Ler menos
    Pré-venda
    Este livro será lançado em
    Oba, você já comprou esse livro! Acesse o App e aproveite a leitura 😁
    Você já possui este livro através da parceria Skeelo + {partner} Acesse o App e aproveite a leitura 😁
    Páginas 448
    Peso do arquivo 32.70MB
    Ano da publicação 2020
    Tradutor(a)

    Sinopse

    OBRA CLÁSSICA, FUNDAMENTAL PARA TODOS QUE DESEJAM CONHECER PROFUNDAMENTE A HISTÓRIA DO BRASIL E A DE SUA IMPRENSA. Este livro do escritor Fernando Jorge é o primeiro que aparece sobre as violências e as arbitrariedades sofridas pelos jornalistas brasileiros, desde a época do Império até os dias atuais, com ênfase para o período do regime implantado em 1964. O autor destrói vários mitos e apresenta episódios importantes, omitidos pelos compêndios de História do Brasil. Prova documentadamente que José Bonifácio, "o patriarca da Independência", agia como um chefe de cangaceiros; que o marechal Deodoro da Fonseca, o proclamador da República, apoiou o empastelamento do jornal A Tribuna; que Washington Luís governou São Paulo como um feitor de escravos; e que o presidente Epitácio Pessoa achava que "coagir o pensamento nacional" era uma tarefa meritória. Outros fatos do livro Cale a boca, jornalista!, dignos de serem mencionados: as "torturas apocalípticas" durante o governo Médici; os suplícios bárbaros infligidos aos jornalistas Rodolfo Konder, Maurício Azedo, Vladimir Herzog, Miriam de Almeida Leitão Netto, Renato Oliveira da Mota, José Augusto Pires, Antônio Carlos Fon e Frederico Pessoa da Silva.
    Ler mais Ler menos

    Ficha técnica

    • Autor(a) Fernando Jorge
    • Tradutor(a)
    • Gênero História Moderna
    • Editora Editora Novo Século
    • Páginas 448
    • Ano 2020
    • Edição
    • Idioma Português
    • ISBN 9786586033557
    • Peso do arquivo 32.70MB